sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

A história da minha vida

Eu, há um par de anos, também era como ele. Não queria gentalha a trabalhar comigo. Não queria macular o meu espaço vital com bafo de gente ordinária, ignorante, provinciana, intolerante, afectada, mole, comuna, com pins guevaristas espetados nos trapos com que adornavam a corcunda figura. Bah, gente pegando em faca perto da serrilha. Gente que não levanta o braço para levar o copo à boca. Gente que mexe no cabelo à mesa. Gente que chama empregado com um psst. Gente que diz mal de padres. Gente que não dá atenção aos filhos. Gente promíscua. Gente que nunca faz a cama. Gente estúpida. Gente que diz "boas famílias". Gente que gosta do "mamma mia". Gente que engata por engatar. Gente que diz asneiras. Gente que vai para a praia ao meio-dia, arrastando filhos pequenos vermelhos de tanto calor. Longe. Hoje sou eremita.

6 comentários:

Numenor disse...

A ausência fez-lhe mal, Wanda. Já não é nem irónica nem sarcástica. Nem acutilante nem incisiva. Até parece amargurada. Patética. Daquelas infames que despejam barbaridades. Que fazem rezas para que caia a pila ao ex.

Não, Wanda.. já a li bem melhor.

Não, Wanda. Não me cairá a pila.

Aguardo o regresso da Amsterdam e - agora rezo eu - que a Wanda da Picheleira não faça mais aparições destas.

pipi das meias altas disse...

Não há pachorra para isto. Quase um ano a escrever e nem fazer rir sabem. Give it up.

Anónimo disse...

esse gajo é mm atrasado, +é que nao escreve mm nada de jeito!

Anónimo disse...

então, isto nunca mais é actualizado?
O ultimo post da pipoca sobre os livros de moda que comprou na amazon está mesmo a pedir um post.
Ela esforça-se taaaaanto para ser uma blogger de moda.

Anónimo disse...

morreu aqui o estaminé? eu gostava tanto

Anónimo disse...

Volta a escrever!! Fazes falta!!!