quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Blogosfera Cor-de-Rosa: Estado da Arte ou o Quem é Quem

Após estes primeiros posts, considerei ser da máxima relevância e do interesse nacional, efectuar com rigor e clareza, a caracterização das nuvenzinhas de algodão doce blogosféricas, a que alguns chamam blogues cor-de-rosa.

Em primeiro lugar, não pensem que este é um mundo apenas aberto ao sexo feminino. Apesar do número mais reduzido, circulam nestes centros especializados em fofura muitos homens, que os abrilhantam com os seus refinados comentários ou meras visitas. Outros há, que se transportam para um patamar mais elevado e criam o seu próprio cantinho luminoso, de onde brotam vigorosas florezinhas amorosas.


Após estes dois breves parágrafos todo eu sou paz, amor e doçura. Só que este estado não dura muito, já que me liberto, embora a custo, da rede de gomas pegajosa, docemente tecida por esta gente.


Após um longo período de reflexão, quase que consegui ouvir as seguintes frases, como vindas da boquinha de alguns dos autores destes blogues. Encarem-nas como categorias. Já agora, podem também jogar ao Quem é Quem.


“Sou tão sofisticada e chique. Pessoinhas, aqui dou-vos o privilégio de olharem para os meus maravilhosos coordenados, ricamente adornados pelos meus acessórios exclusivos. Está bem que alguns ainda têm etiquetas, mas amanhã sempre os posso trocar ou não? É que eu gosto de estar na moda e amanhã já estão fora de moda!”


“Eu sou uma mulher modesta, mas com muito bom gosto. Desde o meu nascimento que me foi concedido este dom. O dom de vestir um qualquer trapinho descartável e envergá-lo como se de alta-costura se tratasse. Como sou um poço de bondade e amor, partilho com vocês este dom, na esperança de transformar as vossas vidas e que possam ser tão felizes e radiantes como eu.”


“Eu sou bom. Já sabiam não já? Se calhar não sabiam porque não são tão perspicazes como eu. Não interessa. Ficam a saber e eu explico: sou bom, porque sou bom e apenas isso importa. Perceberam?”


“Adoro as mulheres. A sua beleza, a sua inteligência, a sua sensibilidade. O quanto eu as estimo. São seres tão elevados e sensíveis. Devem ser tratadas com muito cuidado. Já agora, uma vez que já deixei bem clara a minha posição, está por aí que achasse que já não havia homens como deve ser e que queira ir dar uma queca? Perdão. Que queira deixar-se conhecer no seu âmago, com muita sensibilidade?”


“Eu acho que ainda não cresci. Sinto-me tão fofinha, sabiam? Assim quase, como um ursinho de peluche cor-de-rozinha. Adoro as flores, as pessoas e, sobretudo os animais e o bambi. O que mais me entristece é ver que as pessoas não sorriem logo de manhã. O que interessa a crise afinal, ou a chuva que cai? Afinal, o que conta é que tenhamos os nossos corações quentinhos e aconchegados.”


“Sabem, eu não tenho grande interesse em estar na blogosfera. Afinal eu tenho uma vida muito útil e interessante. Mas o que hei-de fazer, se os meus leitores não permitem que me ausente? Não posso demorar-me muito, mas talvez volte daqui a uma hora. E já agora, também, na próxima. E só mais um post. Pronto, só mais um…”


“Estas bloggers que acham que sabem tudo! Pirosas, é o que são! Vêm para aqui mostrar as cozinhas, os casamentos, os sapatos, as férias! Soubessem elas o que a vida é! Tivessem elas de apanhar diariamente o barco para Cacilhas e mais dois autocarros, para verem como lhes eram úteis os Manolos. Cambada de fúteis! Pelo menos eu, aqui neste espacinho criado com o meu suor, falo da vida real, não da vida plastificada. Barbies!”.



Por agora é suficiente, que tenho de me ir debruçar sobre o Orçamento de Estado de 2011. Então, chegaram lá?

2 comentários:

Mia disse...

É pááá! E eu que só agora percebi que tinha sido visitada pela crítica blogo-literária!
Já ganharam uma seguidora no Caras de Cu, só dos nervos de ver o meu estaminé difamado por aqui!!
Ora, quem tem cu tem medo! :)

J. da Ega disse...

É esse o espírito!